terça-feira, 28 de dezembro de 2010

TExto para 2011?

Geralmente não me importo com datas nos textos.

TEnho esse detalhe como secundário.

Mas hoje faz sentido.

2011 é um ano simbólico por uma série de motivos.

Mas o principal deles é que tudo parece diferente,

Renovado,

porém tudo mesmo é difícil de entender.


As escolhas foram outras,

estranhas,

dificeis,

complicadas e até engraçadas.



Não sei onde elas vão terminar.


Entre boas e más,

apenas fiz escolhas.




Se não der, te vejo em 2011.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

domingo, 5 de dezembro de 2010

Ah...

Tudo parece distante.

Mas eis que surge a esperança.

Disfarçada em um olhar,

em um sorriso,

em uma atitude.


Surge diferente,

surge,

apenas para ter esperança.

Em você, eu acho que posso ter.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

A vida é tão rara?

Não sei. Tenho infinitas dúvidas.

Me preocupo às vezes quanto as pessoas são capazes de tudo.

Me pergunto porque eu não sou capaz de tudo.

Odiando o que tenho de melhor: não serve pra ninguém.

Tá aqui, como se fosse um material dispensável,

que não serve para resgatar ninguém,

não serve pra usar no dia-a-dia,

fico obsoleto.


Me pergunto se vale a pena essa vida rara.

Essa vida que não para.

Para.

Um dia eu sei que vai parar.



E paro simplesmente para pensar:

e se parar agora?

De repente?


Eu tenho sonhos.

Mortos.

E se não houver outros sonhos,

todos morreram por somente um.